Novidades

Início > Novidades > Como definir qual melhor processo de soldagem?

Como definir qual melhor processo de soldagem?

  • Minas Gerais mg Extrema ver
  • Minas Gerais mg Poços de Caldas ver
  • Minas Gerais mg Pouso Alegre ver
  • São Paulo sp Atibaia ver
  • São Paulo sp Campinas ver
  • São Paulo sp Itatiba ver
  • São Paulo sp Jundiai ver
  • São Paulo sp Limeira ver
  • São Paulo sp Mogi Guaçu ver
  • São Paulo sp Paulinia ver
  • São Paulo sp Piracicaba ver
  • São Paulo sp São Paulo ver
  • São Paulo sp Sorocaba ver

Já comentamos antes sobre a existência de diversos processos de soldagem e inclusive o fato de muitos deles serem parecidos e até mesmo servem para o mesmo tipo de soldagem. Como então saber qual o mais indicado para o que você precisa? 

Embora alguns sejam bem parecidos, alguns pontos acabam deixando um tipo de processo com mais vantagem sobre outro, dependendo das necessidades ou dificuldades da solda. Assim, é importante no momento de escolher um deles conhecer bem as suas características e vantagens e desvantagens entre um e outro. Vamos falar aqui dos três métodos mais utilizados: eletrodo revestido, MIG/MAG e TIG e como comparar um com o outro para poder optar pelo melhor. 

Soldagem com Eletrodo Revestido

O mais antigo e comum dos três processos. É muito utilizado pois possui o menor custo de aplicação, especialmente em pequena escala. Nesse processo, é formado um arco elétrico que causa o superaquecimento da peça e do eletrodo, gerando a sua fusão. Após realizada a fusão, é preciso retirar a escória para garantir um bom acabamento. Por esse processo de remoção da escória ser de feito manualmente e um a um, acaba que a solda com eletrodo revestido possui uma baixa produtividade. 

Esse tipo de processo é recomendado para as seguintes aplicações:

• reforma e confecção de grades e portões;
• reforma e construção de estruturas metálicas;
• recuperação de eixos de caminhões, tratores e máquinas pesadas;
• recuperação em peças de ferro fundido;
• soldaa de eletrodos especiais com ligas duras para revestimentos;
• soldagem portátil;
• manutenção em geral.

Soldagem MIG/MAG

Mais eficiente e com maior produtividade que a soldagem por eletrodo revestido, o processo MIG/MAG é feito com um arame de soldagem – o que facilita o progresso da soldagem vez que não é preciso ficar parando a todo momento. Na soldagem MIG/MAG é possível manter uma distância e velocidade constantes, ajustadas no próprio equipamento, garantindo uma boa penetração, baixó nível de respingos e bom acabamento.

É usado em diversas aplicações, mas é mais indicado para:

• reforma e confecção de tanques em aço inox ou aço carbono;
• fabricação de estruturas metálicas em geral (escadas, grades, bases de máquinas, bancadas, tesouras, treliças, peças técnicas, etc);
• serralherias, caldeirarias, mecânicas, soldagens, indústrias metal mecânicas;
• preenchimento em eixos de caminhões, ônibus e empilhadeiras;
• manutenção de tratores e implementos rodoviários e agrícolas;
• p
rocessos industriais de soldagem em geral.

Soldagem TIG

Esse é o processo – entre os três que estamos abordando – o que exige maior habilidade. Ele utiliza um eletrodo de tungstênio como ponto de transferência do arco através da condutividade entre o eletrodo e a peça de trabalho. A principal diferença entre os outros processos de soldagem é o fato de que o eletrodo é apenas um condutor, não sendo consumido ou incorporado ao material soldado. Embora tenha uma qualidade de solda e variedade de aplicação superiores se comparado com os demais, a produtividade da solda TIG é inferior. Por requerer mais habilidade e ser também mais confiável, acaba sendo mais utilizado em peças que necessitam de uma soldagem de alta qualidade, tanto de acabamento como de resistência, como por exemplo tanques alimentícios ou farmacêuticos.

Por ter características tão peculiares, as aplicações mais indicadas são:

• solda em cárter de alumínio;
• recuperação em cabeçotes;
• 
soldas em corrimãos de aço inox;
• s
oldas em rodas de liga leve;
• recuperação de matrizes de corte ou injeção;
• 
soldas em materiais cirúrgicos
• 
treliça de alumínio
• s
oldas em tanques de aço inox e de alta pressão;
• 
soldas em equipamentos industriais;
• 
soldas em equipamentos para indústria alimentícia, farmacêutica e química;
• 
solda em tubulações de alta pressão;
• 
solda em tubos de ar condicionado de alumínio.

É bom ter em mente que, embora tenhamos levantado as principais utilizações de cada tipo de solda, outros fatores devem ser levados em consideração, como o local ou posição que será utilizada, dentre outros. Assim, o mais indicado é pedir ajuda especializada para identificar qual o processo mais indicado. Nós da Aventa te ajudamos a encontrar o melhor tipo de solda para o seu projeto, bem como as máquinas que melhor se encaixam. Entre em contato e veja como podemos te ajudar.