Novidades

Início > Novidades > O que é o Revestimento Duro

O que é o Revestimento Duro

  • Minas Gerais mg Extrema ver
  • Minas Gerais mg Poços de Caldas ver
  • Minas Gerais mg Pouso Alegre ver
  • São Paulo sp Atibaia ver
  • São Paulo sp Campinas ver
  • São Paulo sp Itatiba ver
  • São Paulo sp Jundiai ver
  • São Paulo sp Limeira ver
  • São Paulo sp Mogi Guaçu ver
  • São Paulo sp Paulinia ver
  • São Paulo sp Piracicaba ver
  • São Paulo sp São Paulo ver
  • São Paulo sp Sorocaba ver

Na indústria em geral, grande parte dos custos de interrupção da produção está da produção está ligada com a necessidade de manutenção de equipamentos, e muitas vezes, isto está ligado a desgastes de danos na solda, que são muitas vezes decorrentes de fenômenos de desgaste, que podem ser naturais, como ligados ao clima e exposição ao meio ambiente, ou causados por algum tipo de interação externa do metal de solda.

Leia mais sobre a importância de detectar problemas na solda.
 

O QUE É REVESTIMENTO DURO

O custo de substituição de alguns componentes pode ser alto, e se somado ao tempo em que a produção é interrompida, maior ainda. Com o intuito de diminuir estes custos, muitas vezes nestes casos, é necessária a aplicação de um processo chamado de revestimento duro.  Também conhecido como Hard Face Welding, este processo nada mais é do que a restauração de partes que tenham sofrido algum tipo de fenômeno de desgaste, para que sejam reutilizadas, diminuindo assim os custos e a perda de produtividade com manutenção.

O revestimento duro consiste na aplicação de camadas espessas de no mínimo 2 mm de metais de revestimento que aumentam a vida útil das peças, que muitas vezes também são aplicadas sob subcamadas de outros materiais com o fim de evitar problemas metalúrgicos com o depósito final.
 

QUAL É A APLICAÇÃO DO REVESTIMENTO DURO

A camada de revestimento duro pode ser aplicada através de alguns processos de soldagem. Os eletrodos e arames tubulares garantem diferentes graus de proteção para evitar que os fenômenos de desgaste devido à corrosão ou valor ocorram.

O processo de revestimento é normalmente aplicado por meio de soldagem a arco, e é eficaz em estender o tempo de vida dos componentes industriais envolvidos, além de poder ser usado também na prevenção de necessidade de reparo ou troca, resultando numa economia significativa em manutenção, custos de produção e tempo de máquina parada.

Este tipo de revestimento é normalmente associado como fornos de cimento, maquinaria de terraplanagem, britadores e indústria de transformação.

Para cada tipo de fenômeno de desgaste há um tipo de arame tubular diferente, que proporcionará uma resistência maior ao material, e podem ser utilizados diferentes métodos de soldagem como:

Soldagem por arco aberto
Soldagem com gás protetor (Mig Mag)
Soldagem com arco submerso
Pulverização térmica

 

FENÔMENOS DE DESGASTE

Os metais envolvidos na soldagem ou mesmo na fabricação de equipamentos podem sofrer fenômenos chamados de fenômenos de desgaste, que são aqueles que acarretam na degradação ou mau funcionamento do de um equipamento. Alguns dos fenômenos de desgaste são:

  • Fricção de metal para metal;
  • Desgaste por abrasão mineral, abrasão sob pressão ou abrasão quente;
  • Desgaste por erosão;
  • Cavitação;
  • Impacto;
  • Fadiga térmica ou mecânica;
  • Oxidação quente;
  • Corrosão;

Para cada tipo de desgaste existe uma liga diferente, e este é um dos fatores que influencia na aplicação do processo de revestimento duro. Além dos fenômenos a liga também sofre influência da aplicação industrial, composição química do metal base, acabamento final desejado e espessura da camada necessária.

 

VANTAGENS DO REVESTIMENTO DURO

Além da redução nos gastos com manutenção e custos de produção em geral, muitas vezes, as peças revestidas acabam tendo uma vida mais longa do que teriam originalmente sem o revestimento, pois o revestimento duro normalmente é adicionado com materiais muito mais resistentes aos fenômenos desgaste, impacto, abrasão ou corrosão.