Novidades

Início > Novidades > O que define uma boa soldagem?

O que define uma boa soldagem?

  • Minas Gerais mg Extrema ver
  • Minas Gerais mg Poços de Caldas ver
  • Minas Gerais mg Pouso Alegre ver
  • São Paulo sp Atibaia ver
  • São Paulo sp Campinas ver
  • São Paulo sp Itatiba ver
  • São Paulo sp Jundiai ver
  • São Paulo sp Limeira ver
  • São Paulo sp Mogi Guaçu ver
  • São Paulo sp Paulinia ver
  • São Paulo sp Piracicaba ver
  • São Paulo sp São Paulo ver
  • São Paulo sp Sorocaba ver

Como definir uma boa soldagem

Basicamente, uma soldagem finalizada deve apresentar duas características principais: qualidade e segurança. Como dissemos em nosso ebook “5 Erros Mais Comuns na Soldagem”, os soldadores e inspetores apresentam uma responsabilidade dupla: com a empresa em que trabalham e também com o público em geral. Uma solda fora dos padrões pode acarretar em danos materiais e físicos.
Então, para alcançar uma boa soldagem, é imprescindível que o cordão de solda seja executado com o máximo de habilidade, boa regulagem da intensidade e boa seleção de consumíveis.
Abaixo, algumas características que definem uma boa soldagem:

Ausência de escavações

Uma solda sem escavações é aquela em que, junto ao seu pé, não se produzem crateras que possam danificar a peça. Para evitar escavações, use uma oscilação apropriada, tentando manter a maior uniformidade possível. A altura do arco também deve ser mantida. 
 

Boa penetração

Quando o material que é depositado funde a raiz e se estende por baixo das superfícies soldadas. Para alcança-la, use uma intensidade suficiente para a penetração desejada. A separação entre as peças a se soldarem também precisa ser adequada (respeitando um pequeno espaço). 
 

Fusão completa

Ocorre quando há a formação de uma massa homogênea proveniente da boa fusão entre o metal base e o metal depositado. A oscilação deve sobrepor e cobrir as bordas da junta. A corrente adequada produzirá depósitos e penetração correta. Tente evitar que o material em fusão se deposite fora da caixa. 
 

- Ausência de porosidade

A estrutura interior da solda não deve apresentar bolhas de gás nem formação de escória. O material base deve estar sempre limpo. Também se pode permitir mais tempo à fusão para que os gases escapem. Outras dicas são: manter a oscilação de acordo com a junta, usar consumíveis adequados e manter o arco a uma distância correta. 
 

Ausência de trincas

Quando não há trincas ou fissuras na extensão do material depositado. Para evitar as trincas, tente não soldar em fileiras em aços especiais, faça uma boa fusão, proporcione a largura e a altura do cordão de acordo com a espessura da peça e mantenha as uniões sempre com uma separação apropriada e uniforme. 
 

Boa aparência

Formada basicamente por um cordão uniforme, sem fendas ou saliências. Tente evitar sempre o reaquecimento por depósito excessivo e os picos de intensidade.