Novidades

Início > Novidades > Soldagem na Indústria Naval

Soldagem na Indústria Naval

  • Minas Gerais mg Extrema ver
  • Minas Gerais mg Poços de Caldas ver
  • Minas Gerais mg Pouso Alegre ver
  • São Paulo sp Atibaia ver
  • São Paulo sp Campinas ver
  • São Paulo sp Itatiba ver
  • São Paulo sp Jundiai ver
  • São Paulo sp Limeira ver
  • São Paulo sp Mogi Guaçu ver
  • São Paulo sp Paulinia ver
  • São Paulo sp Piracicaba ver
  • São Paulo sp São Paulo ver
  • São Paulo sp Sorocaba ver

A soldagem é um dos mais importantes processos industriais quando se trata da fabricação de peças metálicas, principalmente em grandes escalas como em construções civis e navais. Na indústria naval, vários processos diferentes são utilizados desde a fabricação até o reparo e manutenção dos equipamentos, peças desgastadas, aplicação de revestimento, etc.

A indústria naval possui ambientes com processos complexos e são muitos os fatores que devem ser levados em conta quando se trata do tipo de solda aplicada, principalmente por se tratar por diferentes tipos de metais, diferentes aplicações, mas que requerem alta qualidade, força e acabamento já que comumente sofrem muito com o desgaste ao longo do tempo. Muitas vezes requerem também habilidades extras por parte dos soldadores, que também passam por especializações para atenderem este tipo de segmento especificamente.

Leia mais sobre o processo de soldagem subaquática.

Soldagem Naval

Dentro de um estaleiro, local onde os navios são construídos e reparados, a soldagem é provavelmente o mais importante processo, pois é através dela que ocorre a montagem dos equipamentos que farão parte de um navio, e cada peça ou equipamento que faz parte dele requer uma escolha minuciosa à partir de características físicas, químicas e geométricas de cada peça.

Os processos mais utilizados dentro do estaleiro são a soldagem TIG (leia mais clicando aqui) em tubulações, MIG/MAG (leia mais clicando aqui) em painéis e arco submerso nos blocos e chapas que constituem o revestimento. Devido ao alto nível de desgaste devido ao ambiente em que está inserido um navio, cada processo é definido pela fonte de calor, quantidade de calor e principalmente tipo de proteção à solda, e antes da fabricação de uma embarcação é definido um plano de solda que deve indicar de forma clara que tipo de processo deve ser utilizado em cada peça, a extensão, aplicação, consumível (metais envolvidos) e dimensões da solda.

Cenário no Brasil

Com a reativação da indústria naval brasileira por volta de 1999 principalmente envolvendo os processos da Petrobras, a construção naval brasileira deu um salto quanto à adoção de tecnologias mais modernas e produção de embarcações que eram encomendadas em serviço da empresa. Com isto, a produção de navios de grande porte como petroleiros cresceu muito, levando a indústria a se desenvolver de forma mais rápida.

Além disso, a alta qualidade de profissionais envolvidos nestes processos, como engenheiros e soldadores, permitiu que a indústria naval recuperasse sua capacidade contanto com o apoio de instituições como o SENAI, Prominp e a Fundação Brasileira de Tecnologia em Soldagem.

Porém, como em todo o mundo, o avanço da tecnologia e a automação de processos de soldagem nesta e em todos os tipos de indústria também representa desafios e demanda estudos e especializações constantes por parte dos profissionais envolvidos, apesar de não poderem ser utilizados na indústria naval da mesma forma que são na indústria automobilística, devido aos processos não padronizados.

No Brasil, o processo de arco-submerso é o mais utilizado, de forma semiautomática, sendo que ainda precisa do soldador para direcionar o equipamento, o mesmo que acontece com o processo de soldagem MIG/MAG, onde é o operador que posiciona a máquina e avalia a qualidade e aplicação da solda.

Quer saber mais sobre o mundo da soldagem? Leia mais artigos clicando aqui.

Precisando de máquinas de solda para locação ou compra? Clique aqui e aqui para mais informações.