Novidades

Início > Novidades > Esteja Preparado: Cinco Riscos a Evitar Durante uma Soldagem

Esteja Preparado: Cinco Riscos a Evitar Durante uma Soldagem

  • Minas Gerais mg Extrema ver
  • Minas Gerais mg Poços de Caldas ver
  • Minas Gerais mg Pouso Alegre ver
  • São Paulo sp Atibaia ver
  • São Paulo sp Campinas ver
  • São Paulo sp Itatiba ver
  • São Paulo sp Jundiai ver
  • São Paulo sp Limeira ver
  • São Paulo sp Mogi Guaçu ver
  • São Paulo sp Paulinia ver
  • São Paulo sp Piracicaba ver
  • São Paulo sp São Paulo ver
  • São Paulo sp Sorocaba ver

A segurança é um ponto crítico para qualquer projeto de soldagem.

A soldagem a arco, por sua vez, é uma técnica segura quando as devidas precauções são tomadas. Porém, se elas forem ignoradas, os soldadores enfrentam uma série de riscos que podem ser potencialmente perigosos, incluindo choque elétrico, fumaça e gases, incêndios e explosões.

Para ajudar a manter os soldadores seguros, organizações como a ‘Conferência Americana de Higienistas Industriais Governamentais (ACGIH)’ e a ‘Administração de Segurança e Saúde Ocupacional (OSHA)’ dos Estados Unidos oferecem diretrizes de segurança para ajudar a controlar, minimizar ou ajudar colaboradores e trabalhadores a evitar riscos durante soldagens. Os empregadores devem garantir que todos os colaboradores possam cumprir as seguintes diretrizes importantes no local de trabalho:

  • Ler e entender as instruções do fabricante para cada equipamento utilizado;
  • Revisar com especial cuidado as folhas de especificações de segurança do material;
  • Seguir as práticas internas de segurança da empresa.

 

Ter consciência dos riscos de soldagem mais comuns e saber como evitá-los garante um ambiente de trabalho seguro e produtivo para todos. Abaixo vamos conhecer alguns dos pontos mais críticos.

 

CHOQUES ELÉTRICOS

O choque elétrico é um dos riscos mais sérios enfrentados por um soldador. Ele pode levar a ferimentos graves e até à  morte, seja pelo próprio choque ou por uma eventual queda causada pela reação ao choque.

Um choque elétrico ocorre quando os soldadores tocam dois objetos de metal que possuem uma tensão entre eles, inserindo-se no circuito elétrico. Por exemplo, se ele possuir um fio desencapado em uma mão e um segundo fio desencapado com outro, a corrente elétrica passará por esse fio e pelo operador de soldagem, causando um choque elétrico. Quanto maior a tensão, maior a corrente e, portanto, maior o risco de choque elétrico resultar em ferimentos ou morte.

O tipo mais comum de choque elétrico é o choque de tensão secundária de um circuito de soldagem a arco, que varia de 20 a 100 volts. Tenha em mente que até mesmo um choque de 50 volts ou menos pode ser suficiente para ferir ou matar um operador, dependendo das condições. Devido a sua constante mudança de polaridade, a tensão de corrente alternada (CA) tem maior probabilidade de parar o coração do que a tensão de corrente contínua (CC). Também é mais provável que a pessoa que segura o fio não o consiga soltar.

Para evitar choque de tensão secundária, os operadores de soldagem devem sempre usar luvas secas e em bom estado, nunca tocar o eletrodo ou partes metálicas do suporte do eletrodo diretamente com a mão (sem proteção). Jamais use roupas molhadas e certifique-se de isolar-se da peça de trabalho e do solo, mantendo o isolamento seco entre seu corpo e o metal sendo soldado (em caso de pisos de metal ou superfícies molhadas).

Os operadores também devem inspecionar o suporte do eletrodo com frequência, buscando possíveis danos antes de iniciar a soldagem, além de manter o isolamento do cabo de solda e do eletrodo em boas condições – é o isolamento de plástico ou fibra no porta-eletrodo que evita o contato com as partes metálicas eletricamente "quentes" internas. Certifique-se sempre de reparar ou substituir o isolamento danificado antes de usá-lo.

Um choque de tensão primária – ainda mais sério - pode ocorrer quando o soldador tocar eletricamente em peças “quentes” dentro do sistema de distribuição elétrica ao qual ele está conectado. Esta ação pode levar a um choque de 230 ou 460 volts.

 Quando não estão em uso, mas ainda estão ligados, a maioria dos equipamentos de soldagem tem uma voltagem que varia de 20 a 100 volts no circuito de soldagem e as tensões dentro do equipamento de soldagem podem variar de 120 volts a mais de 575 volts, o que também representa risco para choque elétrico. Somente técnicos de reparo qualificados devem tentar reparar equipamentos de solda.

 

 

FUMOS E GASES

Não é surpresa que a superexposição a gases e fumos de soldagem possa ser prejudicial à saúde do operador. A fumaça de soldagem contém compostos de óxidos de metal complexos potencialmente prejudiciais, por isso é importante usar sistemas de ventilação e/ou exaustão suficientes para controlar a exposição do operador a estas substâncias.

Os potenciais efeitos negativos estão relacionados com o consumível utilizado. Geralmente na FISPQ (Ficha de Informações de Segurança) do produto há uma sessão “Dados de Perigo e/ou risco para Saúde”.

As áreas de soldagem exigem ventilação adequada e exaustão no local da soldagem para manter os fumos e gases fora da zona de respiração e dissipá-los da área geral de operação. As empresas devem fornecer um sistema de ventilação - como um ventilador e um sistema de exaustão ou exaustores fixos/removíveis - para evitar fumaça e gases na área de trabalho.

Todos os operadores de soldagem devem estar cientes de que existem valores limite exposição para as substâncias em gases de solda. Esses limites especificam a quantidade de uma substância em seu ar respirável para a qual os operadores de soldagem podem ser expostos todos os dias em que trabalham ao longo de sua carreira. Os operadores de soldagem devem usar um respirador aprovado, a menos que as avaliações de exposição estejam abaixo dos limites de exposição aplicáveis. Para avaliar o ambiente, um higienista industrial pega uma amostra de ar na zona de respiração do trabalhador para determinar se a exposição está abaixo dos limites de exposição.

 

 

FOGO E EXPLOSÕES

A abertura de um arco de solda cria temperaturas extremas e pode representar um perigo significativo de incêndio e explosão se práticas seguras não forem seguidas. O problema não é o arco em si, mas o intenso calor em sua volta e o risco de faíscas e respingos. Estes respingos podem atingir até 35 metros de distância.

Para evitar incêndios, antes de começar a soldar, inspecione a área de trabalho em busca de materiais inflamáveis ​​e remova-os da área. Os materiais inflamáveis ​​são compostos por três categorias: líquido, como gasolina, óleo e tinta; sólido, como madeira, papelão e papel; gás, incluindo acetileno, propano e hidrogénio.

Saiba onde estão os alarmes de incêndio e os extintores e verifique o medidor do extintor para se certificar de que está cheio. Se um extintor não estiver disponível, certifique-se de ter acesso a mangueiras de incêndio, baldes de areia ou outros equipamentos que apaguem fogo. E saiba a localização da saída de incêndio mais próxima.

Se estiver soldando a menos de 10 metros de materiais inflamáveis, mantenha um colaborador para atuar como “vigilante”, monitorando as faíscas. Além disso, permaneça na área de trabalho por pelo menos 30 minutos após concluir a soldagem, para garantir que não haja incêndios latentes. Coloque um material resistente ao fogo, como uma folha de metal ou uma manta de couro, sobre os materiais inflamáveis ​​dentro da área de trabalho, caso não consiga removê-los.

Em um local elevado, certifique-se de que não haja outros trabalhadores ou materiais inflamáveis ​​abaixo de você, a fim de evitar a queda de faíscas ou respingos sobre eles. Mesmo altas concentrações de partículas finas de poeira podem causar explosões ou incêndios. Se um incêndio começar, não entre em pânico - e chame o corpo de bombeiros imediatamente.

 

 

LESÕES POR EPI INSUFICIENTE

O equipamento de proteção individual (EPI) ajuda a manter os operadores de soldagem livres de ferimentos, como queimaduras - a lesão mais comum na soldagem - e exposição a raios luminosos emitidos durante o arco. Utilizar os EPIs corretos permite liberdade de movimento enquanto ainda fornece proteção adequada contra riscos oriundos da soldagem.

Recomenda-se também usar roupas de algodão tratadas com couro e resistente a chamas quando estiver em ambientes de soldagem. Isso ocorre porque materiais sintéticos, como o poliéster ou o nylon, derretem quando expostos ao calor extremo. Os couros de soldagem são especialmente recomendados em aplicações que exigem soldagem vertical ou aérea (sobrecabeça).

Também evite arregaçar mangas da roupas que estiver usando, pois faíscas ou metal quente se depositarão nas dobras e poderão queimar você. Mantenha as calças por cima das botas de trabalho - não as coloque para dentro. Use sempre óculos de segurança com proteções laterais para evitar que faíscas ou outros detritos atinjam os olhos. Botas de couro são a melhor proteção para os pés.

Luvas pesadas e resistentes a chamas devem sempre ser usadas para proteger de queimaduras, cortes e arranhões. Enquanto estiverem secas, eles também devem fornecer proteção contra choques elétricos. Luvas de couro são sempre uma boa escolha.

Máscaras com proteções laterais também são essenciais para proteger os olhos e o rosto contra a exposição aos raios do arco. Certifique-se de escolher a lente apropriada para o seu processo de soldagem. Para isso, veja as instruções de sua máscara para ajudar a selecionar o nível de escurecimento correto. Comece com uma lente de filtro mais escura e mude gradualmente para um tom mais claro até ter uma boa visibilidade na poça e na junta de solda, a ponto de estar confortável – sem irritar os olhos.

Máscaras também protegem contra faíscas, calor e choque elétrico. A proteção ocular inadequada pode causar desconforto extremo, inchaço ou cegueira temporária, por isso, não corra riscos - use sempre uma máscaradurante a soldagem.

Para proteger os ouvidos contra o ruído, use proteção auditiva se estiver trabalhando em uma área com altos níveis de ruído. Isso protege sua audição de danos, bem como evita que metais e outros detritos entrem no canal auditivo. Escolha tampões ou protetores auriculares.

 

 

OUTRAS CONSIDERAÇÕES DE SEGURANÇA

Os soldadores também devem estar cientes de outras considerações de segurança dentro do ambiente de trabalho. Por exemplo, aqueles que trabalham em um espaço confinado ou em uma área elevada precisam tomar precauções extras. Em qualquer situação de soldagem, os operadores devem prestar muita atenção nas informações de segurança dos produtos fornecidas pelo fabricante.

Ao seguir as práticas listadas acima e usar o bom senso, os operadores podem permanecer seguros e manter a produção em movimento e, o mais importante, sem acidentes.