Novidades

Início > Novidades > Como otimizar a sua produtividade na soldagem

Como otimizar a sua produtividade na soldagem

  • Minas Gerais mg Extrema ver
  • Minas Gerais mg Poços de Caldas ver
  • Minas Gerais mg Pouso Alegre ver
  • São Paulo sp Atibaia ver
  • São Paulo sp Campinas ver
  • São Paulo sp Itatiba ver
  • São Paulo sp Jundiai ver
  • São Paulo sp Limeira ver
  • São Paulo sp Mogi Guaçu ver
  • São Paulo sp Paulinia ver
  • São Paulo sp Piracicaba ver
  • São Paulo sp São Paulo ver
  • São Paulo sp Sorocaba ver
A Revolução Industrial trouxe grandes mudanças para o mundo. As produções que, até então eram artesanais, começaram a ser realizadas por máquinas e ferramentas. Fábricas surgiram e a produção em massa começou a ser realizada.
A partir daí, atingir a máxima eficiência de suas linhas de produção tem sido o maior objetivo das empresas. O termo “produtividade”, tão difundido no mercado se refere ao ato de produzir a maior quantidade possível em pouco tempo, mantendo a qualidade e baixo custo.
Conseguir equilibrar todos os fatores que definem uma boa produtividade é uma tarefa complexa, pois envolve todos os setores de uma organização (desde a equipe de desenvolvimento até a equipe de logística, passando por compras, administrativo e, claro, produção).
A área de soldagem não fica de fora desta evolução. A solda, inclusive, é uma das atividades que mais se desenvolveu nos últimos tempos e que possui grande influência na produtividade de outros itens. Você já parou para pensar em como a solda está presente em quase tudo do seu dia a dia? Nos seu celular, computador, televisão, geladeira, carro... na estrutura da sua casa ou prédio, nos locais pelos quais você frequenta todos os dias, etc.
Neste artigo vamos discutir então como otimizar a produtividade da sua soldagem. Não importa se você faz parte de uma companhia com milhares de metros de junta soldados por dia ou se você atua de forma independente. As dicas a seguir são aplicáveis para qualquer situação.
Primeiro, precisamos discutir como se mensura a produtividade na soldagem. Basicamente, os fatores analisados são:
1 - o comprimento da junta soldada;
2 - o tempo utilizado.
Desta forma, podemos definir que quanto maior o comprimento e menor o tempo, maior será a produtividade. Entendido? Então já podemos prosseguir com nossas dicas para obter a maior eficiência possível em sua solda.
 

Preparação da Junta

A espessura da chapa a ser soldada e o tipo de chanfro influenciam diretamente na quantidade de metal que será depositado. Reduzindo a área da secção transversal reduzirá, consecutivamente, a quantidade de metal necessário para realizar a soldagem.

Testes realizados mostraram que modificações no chanfro foram responsáveis por diminuir em até 66% a quantidade de metal depositado necessário, permitindo um aumento de produtividade de quase 3 vezes. Uma simples alteração no ângulo do chanfro ‘V’ de 70° para 50° levou a redução de 33% da quantidade de metal depositado necessário, aumento a produtividade em 1,5 vezes.
O projetista deve reduzir ao máximo – sempre dentro do possível, claro – a área do chanfro, visando obter maior produtividade de sua equipe.
 

Selecionando o consumível ideal

Os consumíveis podem ser apresentados em diversas formas de eletrodos, varetas ou arames, cada um indicado para um tipo específico de soldagem e de material. É importante utilizar o consumível certo para o tipo de processo e de metal que você vai soldar, pois assim você alcançará maior eficiência em sua soldagem.

O consumível correto também é crucial na garantia da qualidade da solda, pois ajudará a garantir uma soldagem com integridade e bom aspecto estético.
 
 

Reforço Excessivo

Quanto mais reforço é necessário para a junta da solda, maior a quantidade de metal que será depositado. Algumas variáveis como tipo de chanfro e espessura das chapas também são responsáveis pela maior utilização de metal depositado. Recomenda-se sempre medir a garganta usando calibres e avaliar a penetração.

Se formos considerar juntas de filete, deve-se lembrar que o superdimensionamento ocasiona mais perdas que as juntas de topo. Adicionar 1mm na garganta aumenta a quantidade de metal depositado em até 85%.
 

Ciclo de Trabalho

O ciclo de trabalho é uma equação em que se divide o tempo que o soldador permanece com o arco aberto pelo tempo total da operação (desde a preparação até a limpeza). Assim, quanto maior o ciclo de trabalho, mais tempo o soldador terá passado depositando material.

Se considerarmos que o custo de mão de obra é de cerca de 50% do custo total, calcular e planejar bem o ciclo de trabalho é essencial para obter uma boa produtividade.
Outros fatores como a distribuição das tarefas, a organização do local de trabalho e a segurança também apresentam uma influência direta no ciclo de trabalho.
 

Taxa de Deposição

Consideramos como ‘taxa de deposição’ a quantidade de metal que é depositado em determinado tempo durante a soldagem.

Nos processos de soldagem por arame tubular, MIG/MAG, arco submerso e metal cored, o ‘stick out’ (distância entre a peça e o bico de contato) possui influência na produtividade, pois quanto maior o stick out, maior a taxa de fusão do arame devido à maior extensão do eletrodo e maior dissipação do calor.
Dois fatores muito importantes para otimizar a taxa de deposição são o uso de parâmetros corretos e técnicas de soldagem aplicada. Ao programar sua máquina, siga sempre as instruções que estão no descritivo do consumível e no data sheet (manual) do equipamento. Para a aplicação, certifique-se de estar com a postura correta de acordo com o movimento (puxar ou empurrar) a ser realizado.
 

Equipamentos mais modernos

Com o avanço da indústria, novas tecnologias são incorporadas aos equipamentos, fazendo com que eles superem a eficiência de seus antecessores e apresentem menor tamanho e peso, sem contar a economia no consumo de energia.

Um bom exemplo disto é a inversora CST 280 da Miller. Ela é capaz de realizar os processos GTAW e SMAW possuindo apenas 24,3 x 45 cm e pesando 18,6kg. Suas antecessoras mediam pelo menos 100cm de comprimento e pesavam a partir de 50kg. Tal avanço possibilitou uma máquina portátil, que pode ser carregada facilmente no local de aplicação.
Em termos de eficiência, a máquina menor mostra que tamanho não é documento. Além de sua performance ser superior, ela ainda apresenta economia de 50 a 80% em relação à tecnologia retificadora.
 

Mecanização

Muitos soldadores se mostram receosos quando se fala em ‘mecanização’. Há um conceito totalmente errado de que os novos equipamentos vieram para tomar o lugar do trabalhador enquanto, na verdade, eles servem para auxiliá-lo.
Tratores de solda para aplicação em tanques, torres e tubulações, além de chanfradeiras e automatizadores de usinagem são algumas das ferramentas disponíveis hoje no mercado.